terça-feira, março 26, 2013

Análise Fragmental Multiangular e impressões sobre O Bebê de Rosemary — Especial 1 ano de Blog

‘’Qual é seu filme favorito?’’ E quem nunca recebeu uma pergunta difícil como essa, com o interlocutor querendo uma resposta imediata, sem ao menos te dar chance de pensar por muito tempo. Pois é. Foi pensando nisso que o próximo filme que eu assistisse e que me tocasse de um jeito diferente assumiria logo o posto de favorito dentre tantas pérolas do cinema. Que missão difícil!

O Rua das Laranjeiras faz 1 ano de vida e vamos assoprar as velinhas de um jeito especial – de uma forma que eu nunca esperei fazer, só almejei: resenhar um filme favorito, mas uma obra-prima.


Para o gosto popular, O BEBÊ DE ROSEMARY sempre figura nas constantes listas de ‘’Os Melhores Filmes de Terror’’ de toda a história cinematográfica; para a crítica internacional não foi diferente: RUTH GORDON levou o Oscar e o Globo de Ouro; POLANSKI foi indicado para o Oscar por Melhor Roteiro Adaptado; MIA FARROW foi indicada na categoria de Melhor Atriz Estrangeira no prêmio italiano David di Donatello. E, roteiro e trilha sonora (esta última assinada por KRZYSZTOF KOMEDA), não deixaram de receber a devida atenção do Globo. O roteiro, assinado pelo também diretor Roman Polanski (!!), vem do livro de mesmo nome, escrito por Ira Levin em 1967. Isto é pouco na frente do barulho que filme e livro fizeram.

Contém SPOILER: detalhes sobre o final e outros. Se não assistiu, recomendo que visite outras páginas deste Blog.

Rosemary Woodhouse (MIA FARROW): doce e adorável mulher com jeito de menina; encantada pelas coisas e com longe desejo de ser mãe. Faz de tudo pela relação com Guy.
Guy Woodhouse (JOHN CASSAVETES): homem debochado e frustrado, facialmente persuasível — ou diria ambicioso que não vê precedentes e consequências, apesar de não ter uma mente sossegada.  ‘’Ama Ro’’.
‘’Roman Castevet’’ (SIDNEY BLACKMER): homem persuasivo, cheio de cultura e muito esperto.
Minnie Castevet (RUTH GORDON): trambiqueira, bisbilhoteira e enérgica.



Enredo

Um jovem casal está à procura de um lugar confortável para morar[1]. Na verdade, Guy aceita sob pressão o pedido de Rosemary e acabam comprando o apartamento no qual a parte de trás compunha o apartamento da vizinha, antes de dividirem. Aquele armário estranho guarda uma passagem dos Castevet aos Woodhouse.

Rosemary conhece Terry Gionoffrio (Victoria Vetri) na lavandeira. A moça conta-lhe sua história, revelando que os Castevet a tiraram da rua. Mostra a Rose o amuleto (europeu) que ganhou — com raiz de tânis[2] em sua estufa, ‘’a pimenta do diabo’’. As reais intenções dos Castevet era usar a moça para a cópula com satanás; o amuleto para ‘’dar sorte’’ — ‘’Espero que dê certo. ’’ — estava sendo usado. Ele fazia parte dos rituais feitos pelos bruxos, no caso, um pouco antes, na preparação de coqueteis que escureceria a percepção da realidade. ''Hail Satan!''


Chegando de um passeio, o casal presencia o corpo de Terry estendido no chão, à frente da janela dos Castevet. A moça suicidou-se por ter descoberto o plano sórdido (Laura-Louise Bocuda a contou) e porque já havia sido estuprada e sujeitava a ideia de ser progenitora do anticristo. Podemos ouvir o mesmo canto satânico após esta cena que ouvimos quando Rosemary é estuprada.

Minnie chega para agradecer a condolência de Rosemary e acaba descobrindo que ela nunca foi, mas deseja ser mãe — ‘’Queremos ter três filhos’’.

O casal janta nos vizinhos. As provas circunstanciais foram retiradas de vista (os quadros), pois revelavam a verdadeira identidade dos Castevet. Nessa ocasião, Roman oferece o sucesso profissional para Guy, um ator frustrado e sem oportunidades dignas de seu talento, segundo ele, em troca da fertilidade de Rose, para dar um filho ao diabo.

Em outra visita, agora com a amiga (também bruxa) Laura-Louise (Patsy Kelly), Minnie entrega o amuleto usado na feitiçaria como um presente, e começa ali: o posto de vítima passa de Terry para Rosemary. (O trocadilho usado para o mousse de Minnie vem de seu próprio nome (Minnie-Mouse). Usando especiarias, o ‘’mouse’’ é o acordo de talento e obscuras intenções de Minnie Castevet.)



Os bruxos usam sangue no ritual. Rosemary está em parte fora de si; vê a realidade mergulhada em visões alucinantes por conta do mouse do dia anterior. O Papa participa da cerimônia usando um amuleto igual ao de Rose como anel. Ele veio mesmo com o país em greve para, também, participar do inferno de Rosemary.


Depois de confirmada a notícia da gravidez, os vizinhos, avisados por Guy, incentivam-na a se consultar com o obstetra dr. Sapirstein (Ralph Bellamy)— outro envolvido na feitiçaria.

Rosemary recebe a visita de seu amigo, que estranha a aparência da moça, que perdeu peso em vez de engordar. Ela lhe conta que o vizinho tem a orelha furada, e Roman suspeita de Hutch (Maurice Evans).

Guy logo chega e teme que Hutch atrapalhe o que já estava dando certo, por isso rouba uma de suas luvas e, logo após o amigo sair, leva-a para a prática de um ritual.

O amigo mais tarde liga para Rose querendo marcar um encontro e Guy fica sabendo. No período das 22h30 às 23h os bruxos, com o poder que toda uma assembleia tem de força mental, colocam Hutch em coma. Rose só descobre ao ligar para sua casa.


Depois, avisada de seu falecimento, vai até o cemitério e recebe o livro ‘’Todos Eles Bruxos’’, das mãos de Grace Cardiff (Hanna Landy). O título em inglês é um ANAGRAMA (que, com as letras, pode dar origem a outras palavras. ‘’COMO O INFERNO ESTÁ RELACIONADO A MIM’’ também estava correto). Roman Castevet é na verdade Steven Marcato, o bruxo mor iniciante e de grau mais alto atuando na Terra.



O blog Elementais da Natureza diz que ‘’existem os Elfos da Luz, que são seres etéreos. Os Elfos já foram seres físicos, parecidos com os humanos, porém, com ossos maleáveis - o que os dava vantagem nas lutas que travavam, muitas vezes aliados aos humanos – porém, à medida em que os humanos começaram a destruir a natureza eles se afastaram gradativamente até tomarem uma forma mais sutil. ’’ Um Elfo feriu Adrian Marcato, que marcou presença em mais um Sabá de todos eles bruxos.

Após descobrir que Guy está envolvido (e ela sabe o porquê daquilo) foge em busca de ajuda.

Todos eles bruxos comemoram o ano de 1966 como sendo o Ano Um. Talvez a pressa, com a data vindoura, seja explicada pelo significado que os números têm: (666 — o número da Besta):
ANO UM (1) — 9 (6) — 6 — 6
                                                       
                          
‘’Um’’ para simbologia do nascimento do príncipe das trevas, concomitante com a numerologia exata. Rosemary percebe o enorme emaranhado que o diabo tem na Terra e se desespera.

DISCUSSÃO DE ELEMENTOS

O principal ritual – e o momento mais crítico do filme –, onde Rosemary é fecundada pelo diabo, acontece nada mais nada menos que na conhecida Capela Sistina, situada na Cidade do Vaticano. Tamanha foi a ousadia do autor Ira Levin em colocar a residência oficial do Papa que estiver em poder como um dos principais cenários da obra, onde, inclusive, acontecem atividades papais e o conclave, o qual temos tanto ouvido falar, acrescentando a temerosa imagem da cabeça de bode na arte do teto da Capela, como vemos abaixo:


Antes de a câmera focar no símbolo do pentagrama invertido vemos a famosa pintura de Michelangelo, que retrata o momento em que o primeiro homem é criado por Deus, ‘’A Criação de Adão’’.

Proposital ou não, o Papa vulgo Paulo VI (que não é fictício) tinha a ‘’missão mundial renovada de propagar a mensagem de Cristo’’ e teve sua imagem usada em Rosemary’s Baby (no seu original) para fazer parte de um grande e especial conjunto de ironias: a maior instituição religiosa do mundo tem envolvimento direto com o seu suposto maior inimigo.

Segundo pesquisa, o pentagrama invertido indica o reino de satanás e representa Baphomet, o ídolo adorado por Eliphas Lévi, o maior ocultista do século XIX. É também o emblema oficial da Igreja de Satanás fundada por Anton LaVey, em 1966, contrastando com fato de que o Ano Um em O Bebê de Rosemary é na mesma data. E o bode, que é o animal frequentemente associado ao diabo, representa um deboche ao cordeiro de Cristo, já que estes geralmente são mansos e inofensivos, mas que, na época do juízo final, tomará a frente e dará início às ações de Deus aqui.

Sigil de Baphomet
No livro de Apocalipse (5), temos a descrição da abertura do sétimo selo pelo Cordeiro:

O livro selado com sete selos. Somente o Cordeiro é digno de abri-lo

E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos.
2 E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?
(...)
5 E disse-me um dos anciãos: Não chores: eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar seus sete selos.


TODOS ELES BRUXOS

Temos predisposição a não perceber tudo o que nosso campo de visão alcança, mas não é culpa do nosso cérebro quando optamos pelo caminho mal iluminado. Pior cego é aquele que tem olho e não vê.

Não sei qual foi a intenção de Ira Levin ao escrever O Bebê de Rosemary. Mas sabe-se que a veracidade dessa ficção é real, a verdade vem cada vez mais crua em nossas direções, porém nem todo o mundo aceita.

Os bruxos representam o diabo na Terra, assim como os crentes em Deus são sua imagem semelhante. Para ocorrerem mudanças, há sempre de se ter um intermédio entre diabo e pedinte: Roman Castevet é o intermédio do diabo com Guy Woodhouse. Sabe-se que a bruxaria não tem precedentes aqui; e, se à época em que o livro foi escrito o número era significativo, atualmente deve beirar o absurdo, deixando nossa realidade muito mais tenebrosa.

A ambição do homem dá poder ao diabo e o custo-benefício não é justo. Uma ambivalência de fatos?



O trabalho da soundtrack em O Bebê de Rosemary é excepcionalmente útil e cumpridor no casamento de música e filme. As faixas da OST (trilha sonora original) acomodam, como já dito, a lamentação da personagem principal e toda a fase de descoberta e tentativa de fuga da mesma. O famoso la la la la la la la la la la la la da faixa ‘’Lullaby’’, de várias versões, chegou ao Top 40 Single Release de 1968.

Abaixo premio vocês com mais um upload especial para o Rua das laranjeiras, que não se encontra em nenhum lugar da Internet: TODA A TRACKLIST DA OST ORIGINAL! Deliciem-se e espalhem por aí! (HD)


VEJA A TRACKLIST E SEUS MOMENTOS NA DESCRIÇÃO DO VÍDEO

‘’Satã é o pai dele. E ele se chama Adrian. Vai destituir os poderosos e destruir seus templos. Vai redimir os desprezados e vingar os que foram queimados e torturados. ’’
Estamos falando das pessoas acusadas de bruxaria pela Inquisição que foram queimadas na fogueira na 
Idade Média?



O final desse show é um caso a parte. Na primeira vez em que assisti Rosemary’s Baby tive reações psicológicas intensas e quase físicas. Um choque pela atitude de Rosemary de ter aceitado criar o filho do diabo: o novo Adrian Marcato. Mas, refletindo, passei a achar de absurdo a perfeitamente plausível sua escolha.

Ela foi enganada inicialmente sob a mentira de que seu filho tinha morrido; segundo, seu desejo de ser mãe e, terceiro, tudo o que ela passou até ali. Considero compreensível o que os fãs deste filme mais criticam.




















Questionário rápido (A.F.M.)

— Em que temas o filme se mantém de pé?
Bruxaria/feitiçaria envolvendo uma grande instituição religiosa; ‘’posse’’ da Terra pelas mãos do diabo, ou de seu filho, posteriormente.

— Qual o assunto principal?
O interesse diabólico: o mal, através de seus discípulos na Terra, busca a chance de ter seu representante máximo aqui.

— Qual a questão principal?
A presença e a aderência cada vez maior de novas pessoas à bruxaria.

Facilidade, perspicácia, ‘’persuasivo’’. O Bebê de Rosemary se aprofunda em nossas mentes, plantando questões, imagens e indagações que jamais serão esquecidas depois de assisti-lo. E nossa postura diante de uma obra-prima como essa jamais será indiferente, de acordo com o que for percebido.

O dito popular que diz ‘’se você não acreditar, o diabo aparece para te provar que existe’’ fica para os que ainda duvidam. Fiquemos a postos: à retaguarda está o diabo, e seus demônios à tua direita e à tua esquerda. (...) Mortandade que assola ao meio-dia. Anjos negros, anjos da morte. Anjos que te farão cair.

Opinião pessoal/expressa: Somente palmas para esta magnífica obra-prima cheia de simbolismos, que conseguiu a proeza que só os melhores são capazes de alcançar em razão de sua polêmica pelo mundo! Obrigado, LEVIN, obrigado, KOMEDA e MUITO OBRIGADO, Roman Polanski!

Muito bom!

GALERIA DE IMAGENS

















































Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Capela_Sistina
http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Cria%C3%A7%C3%A3o_de_Ad%C3%A3o_(Michelangelo)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pentagrama_invertido
http://guerreirosdeyah.blogspot.com.br/p/quem-e-baphomet.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Rosemary's_Baby_(film)
http://www.funtrivia.com/en/subtopics/Rosemarys-Baby-the-novel-85094.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anton_LaVey
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eliphas_L%C3%A9vi
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aleister_Crowley
http://www.youtube.com/watch?v=MlCLqt58iY4
http://pt.wikipedia.org/wiki/Morte_de_John_Lennon
______________ 


[1] O edifício Bramford existe, mas se chama ‘’Dakota’’. Foi lá onde John Lennon foi assassinado à queima-roupa, doze anos depois, e onde Aleister Crowley, outro ocultista considerado como ‘’o homem mais perverso/maligno do mundo’’, viveu.

[2] A Raiz de Tânis não existe na realidade. Foi algo criado pelo autor Ira Levin.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...